Brasil supera expectativas de geração de negócios na Mobile World Congress 2017

Para os próximos 12 meses são esperados mais de 28 milhões de dólares em negócios, o que significa um aumento de 40% com relação à participação do Brasil IT+ no ano anterior.

O Mobile Word Congress (MWC) 2017, evento mais importante da atualidade em mobilidade, reuniu durante quatro dias as principais empresas de telecom, reguladoras, operadoras, fabricantes de equipamentos, prestadores de serviços e fornecedores de soluções de mobilidade. Foram mais de 100 mil participantes de 200 países e 2300 expositores.

Em mais uma ação do Projeto Brasil IT+, desenvolvido pela Softex em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), 16 empresas nacionais compareceram ao encontro: BWTECH, EiTV, Icaro Tech, Navita, Reddrummer, Sikur, Tokenlab, Vortigo, W5 Soluções, BRQ, Every TI, FH Cosultoria, Muxi, NEKI IT, Senior e Stefanini. Juntas elas apresentaram um diversificado portfólio voltado às necessidades e desafios de negócios em variadas indústrias e geografias. Confira aqui vídeo com algumas das soluções apresentadas pela delegação brasileira.

Em 2016, os temas realidade virtual e 5G foram destaque na MWC. Já neste ano, além do 5G, prioritário para a delegação brasileira do MCTIC, a maior feira de mobilidade do mundo deu destaque também a carros autônomos, chatbots e inteligência artificial (IA). Questões foram colocadas acerca da capacidade da IA transformar radicalmente nossa interação com o mundo e revolucionar a relação com os clientes. Nesse sentido, o futuro dos apps, como Whatsapp, foi objeto de discussão. A seguir, os tópicos mais mencionados nas redes sociais durante a MWC2017, com atenção ao (re)lançamento feito pela Nokia de seu tradicional modelo 3310 e a Internet das Coisas (IOT) com o debate das Operadoras acerca do uso de LTE-M ou NB-IoT como tecnologia dominante.

Já para a Icaro Tech, integrante da delegação brasileira, chamou atenção a atuação de empresas de Telecom como a Verizon. Em reunião organizada pela Softex, a apresentação da Verizon foi toda pautada em serviços de IOT, incluindo medidores inteligentes para utilities e agricultura de precisão. Segundo Kleber Stroeh, CEO da Icaro Tech, essa seria uma telecom se reinventando em empresa de software para fazer face às OTTs e à revolução digital na qual voz e conectividade já não geram lucros como no passado.

Ainda no domínio da Internet das Coisas, a Sigfox, que em 2016 recebeu o prêmio de melhor inovação mobile para objetos conectados, voltou à MWC sob o anúncio de seu acordo global com a Telefonica e com parceiros de seu ecossistema, como a Mobapi, startup com plataforma para coleta e tratamento de dados gerados por objetos conectados que, través de APIs customizados, dispensa linhas de códigos.

Para Gustavo Jota, gerente de produtos da Senior Sistemas que participou das reuniões organizadas pela Softex com as três empresas mencionadas acima, o futuro da IOT no Brasil necessita de regulação moderada em consonância com padrões internacionais, possibilitando que empresas nacionais possam atuar com fornecedores e parceiros internacionais, tanto em nosso mercado como no mercado global. A própria Senior, empresa especializada na oferta de software para gestão empresarial, de pessoas, logística, relacionamento com clientes e para controle de acesso, participou do MWC 2017 para avaliar tendências e aplicar as novidades no mercado de sua atuação.
Além das dezenas de reuniões viabilizadas pela Softex, as empresas da delegação puderam se reunir com players relevantes como Sanofi, Kimberly Clark, Philips, HP, Kaspersky, Orange, Baidu, Alibaba, Google e Bnp Paribas. No estande do Brasil It+, Stéphane Ghenassia, Head de B2B2C Omnichannel Distribution do BNP Paribas se impressionou com o caráter inovador da solução de e-payment da brasileira Muxi.

Dessa forma, juntas, as empresas brasileiras geraram na MWC 2017 uma expectativa de mais de 28 milhões de dólares em negócios para os próximos 12 meses, o que significa um aumento de 40% com relação à participação do Brasil IT+ no mesmo evento em 2016. “O portfólio apresentado pelo Brasil estava totalmente aderente às tendências apresentadas no evento, como IoT e big data analytics. A expressiva geração de leads e de negócios refletem o fato de as empresas do Brasil IT+ estarem cada vez mais preparadas para atender a demandas globais, tanto em termos de solução quanto de imagem e modelo de negócios”, conclui Guilherme Amorim, gerente executivo da Softex.

Sabrina Mendes

Sabrina Mendes

Sabrina Mendes em Softex
Mestre em Estudos Internacionais pela Sorbonne Paris III, responsável pela inteligência de mercado internacional do Projeto Setorial Softex/Apex-Brasil.
Sabrina Mendes