Duas novas empresas obtêm acesso a recursos do BNDES-Prosoft com o apoio da Softex

A Softex já viabilizou mais de R$ 3,1 bilhões em investimentos do programa desde dezembro de 1997

As empresas Soluti, de Goiás, e Comunique-se, de São Paulo, conseguiram recentemente acesso, com o apoio da Softex, a recursos financeiros do Banco Nacional para o Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) por meio do Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (Prosoft).

Ricardo Rivera de Sousa Lima, gerente setorial do Departamento das Indústrias de Tecnologias de Informação e Comunicação da área industrial do BNDES, lembra que o Prosoft vem apoiando o setor de software no formato atual desde 2014, sendo hoje a principal fonte de financiamento de longo prazo para esse conjunto de empresas.

Na análise do executivo, a Softex tem desempenhado um papel essencial para o sucesso do Prosoft. “Como a instituição conhece os produtos do BNDES, ela pode auxiliar as empresas que pretendem solicitar aportes no levantamento de informações e preparo do plano de negócios para protocolo no banco”. Ricardo Rivera lembra ainda que como o setor de software é pulverizado, com mais de 2.000 empresas, o apoio da Softex ocorre na fase de preparação de informações. “O regramento do Prosoft permite a dispensa de cobrança de comissão de estudos para os planos de negócios encaminhados pela entidade como forma de estimular as empresas de software a realizar esse contato e a preparação”, detalha.

Rodrigo Azevedo, CEO do Grupo Comunique-se, que atua na área de soluções para comunicação empresarial, destaca o trabalho realizado pela Softex e que possibilitou que a companhia cumprisse todos os requisitos do BNDES, auxiliando na montagem do plano de negócios e no esclarecimento das dúvidas ao longo de todo o processo.

“Os recursos que captamos, da ordem de R$ 2.529.000,00, serão aplicados principalmente em inovação, no aprimoramento de nossa solução em nuvem para comunicação e PR digital”, explica, afirmando que um programa com as características do Prosoft é muito importante, “pois permite que empresas realmente com potencial de inovação tenham acesso a capital financeiro a um custo acessível, possibilitando acelerar vendas e colocar o país em um patamar mais competitivo, principalmente na indústria de software”.

A área de investimentos da Softex, que engloba entre suas ações a assessoria ao BNDES-Prosoft, já viabilizou mais de R$ 3,1 bilhões em investimentos do programa desde o seu lançamento em dezembro de 1997. O trabalho de consultoria conduzido pela entidade beneficiou um total de 126 empresas apenas com os recursos oferecidos por essa fonte de financiamento.

“O programa é a principal fonte de financiamento de longo prazo para as empresas desse segmento e um instrumento de financiamento com forte impacto no fortalecimento da indústria. Cerca de 20% das empresas que solicitaram investimentos do Prosoft – 91% delas de médio e grande porte – fazem parte do Brasil IT+, o projeto setorial de exportações que gerenciamos com o apoio da Apex-Brasil”, destaca Diônes Lima, vice-presidente de operações (COO) da Softex.

Ele acrescenta que companhia que mais incrementou seu faturamento nos últimos cinco anos foi beneficiada pelo programa em 2011. “Além disso, dentre as dez participantes que mais aumentaram suas exportações no Projeto no período de 2014 a 2015, metade recebeu o investimento do BNDES”, conclui Diônes Lima.

Karen Kornilovicz

Karen Kornilovicz

Assessora de Imprensa em MLP Assessoria de Imprensa
Bacharel em jornalismo pela Fundação Cásper Líbero, ao longo de mais de 23 anos de profissão atuou em diversos veículos de comunicação e como assessora de imprensa de diversas instituições e companhias nacionais e multinacionais do setor de tecnologia da informação.
Karen Kornilovicz