Tecnópolis estabelece novo marco nas relações entre Brasil e Argentina

Por Karen Kornilovicz
Em 17 de julho de 2013

A delegação brasileira integrada por nove empresas de software e serviços de TI encerrou nesta quarta-feira, 17, em Buenos Aires, sua participação na Tecnópolis, a maior mostra científico-tecnológica da América Latina. O evento foi aberto oficialmente no dia 12 pela presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e pelo Ministro da Ciência Tecnológica e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp, que juntos percorreram os pavilhões do Brasil.

“O MCTI e a SOFTEX esperam, com esta ação na Tecnópolis, estreitar o relacionamento com entidades de TI argentinas, bem como fomentar negócios e parcerias entre empresas de ambos os países em consonância com a estratégia maior de cooperação e integração tecnológica do Mercosul estabelecida pelo Governo Federal, visando ampliar desta forma a competitividade global de nossas organizações”, avalia Ruben Delgado, presidente da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (SOFTEX), responsável pela organização da presença nacional na mostra.

Paralelamente à mostra, a diretoria da SOFTEX participou de reuniões com executivos da Cámara de Empresas de Software y Servicios informáticos – CESSI (www.cessi.org.ar) e da Fundação Sadosky (www.fundacionsadosky.org.ar), iniciando entendimentos para aproximação e para o estabelecimento de parcerias entre companhias brasileiras e argentinas em áreas complementares. “Discutimos ainda a possibilidade de avançar em um plano de pesquisas compartilhadas, fortalecendo também o elo de inovação entre os dois países”, complementa Marcos Mandacaru, vice-presidente executivo da SOFTEX.

Sob a marca Brasil IT+, que identifica a indústria nacional de tecnologia no exterior, TOTVS, Stefanini, Arquivo Digital IT, Interact Solutions, K&D, Virtualy Tecnologia de Simulação, Faculdade Salesiana, Núcleo Sistemas e SBPA Simulators levaram para a Tecnópolis um portfolio bastante diversificado, de soluções de gestão corporativa e RFID, passando por simuladores virtuais, CRM, ERP e BI, até serviços de outsourcing e smart solutions.

Um dos destaques da programação foi o workshop “Una Vision da la indústria de TIC”, promovido ontem pela SOFTEX com o objetivo de apresentar e avaliar as oportunidades de negócios nesta indústria tanto no Brasil como na Argentina. O encontro reuniu 40 empresários argentinos e executivos das principais entidades representativas do setor de TI de ambos os países.

Na visão de Fernando Strada, gerente de negócios internacionais da gaúcha Interact, especializada no desenvolvimento de soluções de gestão estratégica, o evento se mostrou uma oportunidade para estreitar o relacionamento com parceiros locais e também com empresas da própria delegação brasileira. “Atuamos na Argentina há dois anos através de um representante local e hoje nossa solução já está implantada em dez empresas de saúde da Argentina. Acabamos por identificar duas companhias que podem complementar e agregar valor à nossa solução e daremos continuidade às negociações iniciadas na Tecnópolis para viabilizar a venda cruzada”, comemora.

Ficou claro para todos nós – empresários e entidades do Brasil e da Argentina – que se quisermos atuar de forma mais competitiva e oferecendo soluções de maior valor agregado não apenas no Mercosul, mas também em outros países da América Latina, da Europa e da Ásia, devemos somar forças e atuar como bloco”, ressalta Ruben Delgado.

Além das empresas de software e serviços de TI, outras instituições estratégicas ligadas às áreas governamental e de inovação também estiveram presentes à mostra, entre elas a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Braskem, Embraer, Embratur, Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Colaboraram com a SOFTEX na organização da segunda participação do Brasil na Tecnópolis o MCTI, a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A iniciativa contou ainda com o apoio do Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Related Posts